EMGD

Reduzir Custos

6 Dicas Valiosas para Reduzir os Custos de sua Empresa

Descubra a diferença entre custos fixos e variáveis, bem como conheça seis dicas valiosas para um plano de ação que visa reduzir custos.

Tempo de leitura: 8 minutos.

Para uma empresa gerar lucros, praticar preços competitivos e se manter ao longo do tempo no mercado, é imprescindível que o responsável pela gestão saiba controlar suas finanças. Para que isso ocorra, é preciso estudar formas de otimizar os custos em todos os setores da empresa, desde pequenas medidas de economia no dia a dia até cortes de despesas que requerem um estudo mais aprofundado para a tomada de decisão.

Em todo esse processo, a gestão de custos é uma técnica fundamental que o gestor deve implementar através de um plano de ação que busque cortar gastos e aumentar o lucro de sua organização. Nesse artigo, vamos analisar quais são os tipos de custos de uma empresa e as suas características, bem como apresentar seis dicas valiosas que devem ser levadas em conta na elaboração de um plano de ação para reduzir custos.

O Que É Custo?

Custo nada mais é do que a soma dos valores dos itens ou serviços utilizados na elaboração do produto final de uma empresa. Para empresários, o termo “custo”, muitas vezes, está vinculado a dívidas, juros e outras obrigações que talvez não sejam possíveis de se honrar no período estabelecido. Porém, essa palavra não pode ser compreendida apenas nesse sentido.

Com a maior demanda por determinado produto, o empresário precisa adquirir mais matéria-prima e mão de obra para atender e ampliar a sua fatia no mercado. Para isso acontecer, existe um custo de aquisição de pessoal e de todos os materiais necessários para produção, certo? Porém, tais custos podem mostrar que a empresa está crescendo e obtendo um maior lucro.

Da mesma maneira, à medida em que a empresa cresce, pode ser necessário migrá-la para um local com um espaço maior, onde, apesar de um aluguel mais caro, será possível ampliar a produção. 

Para entender mais sobre como os custos impactam a saúde financeira da empresa, é necessário compreender como eles são categorizados. No setor empresarial, os custos podem ser classificados como custos fixos ou variáveis. Vamos analisar cada um deles.

Custos Fixos

Custos fixos são as despesas que não variam de acordo com o nível de produção, ou seja, a empresa pode estar produzindo tanto no máximo quanto no mínimo de sua capacidade que tais despesas não irão se alterar.

Exemplos de custos fixos em uma empresa são:

  • Aluguel;
  • Maquinário;
  • Salários do setor administrativo;
  • Segurança patrimonial.

Custos Variáveis

São custos que estão diretamente ligados ao nível de produção da empresa, ou seja, irão aumentar à medida em que a empresa produza mais. Esses gastos devem ser muito bem planejados para que, ao final do mês, não haja surpresas de despesas que aumentaram pela falta de um bom planejamento.

Alguns exemplos de custos variáveis são:

  • Mão de obra direta;
  • Matéria prima;
  • Comissões de vendedores.

É comum o empresário observar períodos em que a empresa atinge um volume de vendas expressivo, porém, o lucro não acompanha tal crescimento. Isso se deve, em grande parte, à falta de um planejamento financeiro que leve em consideração a variação dos custos fixos e as variáveis ao longo do tempo. Para evitar essa situação, é fundamental elaborar um plano de ação para reduzir custos.

Plano De Ação Para Reduzir Custos

Um plano de ação para reduzir custos visa apresentar uma série de medidas que o empreendedor deve tomar para cortar gastos desnecessários, reduzir os seus custos e aumentar os lucros.

Vamos apresentar aqui seis dicas valiosas para a elaboração de um plano de ação que visa cortar gastos, diminuir os custos fixos e variáveis e aumentar o lucro de qualquer empresa.

Reduzir Custos

1. Realize Um Planejamento De Custos

A técnica mais recomendada para cortar despesas é a realização de um planejamento de custos. Para utilizá-lo, é preciso avaliar qual será o impacto de cada custo nas finanças da empresa antes que o mesmo ocorra. 

Por exemplo: em um determinado período do ano, a empresa observa que a demanda por um de seus produtos aumentou em 50%. Porém, para suprir esse aumento, o local de produção deve ser maior, necessitando mudar o endereço da fábrica para outro espaço. Cabe aos gestores determinar se a expectativa de faturamento diante do novo cenário irá compensar os custos com o novo aluguel e analisar todos os outros parâmetros necessários para aumentar a produção.

Uma das formas de realizar tal planejamento é a elaboração de uma planilha com todos os gastos necessários para fabricar determinado produto. Assim, fica visível cada custo atrelado aos itens produzidos, bem como a margem de lucro que irá proporcionar, garantindo um maior embasamento na tomada de decisão.

2. Invista Em Tecnologia Da Informação

A tecnologia da informação (TI) é uma das principais ferramentas que deve ser empregada para qualquer empresa que deseja ter uma vantagem competitiva no mercado. Por meio dela, é possível obter dados de toda a empresa de maneira muito mais rápida, confiável e eficiente.

Softwares tais como o MRP e ERP mostram qual deve ser a demanda de mão de obra, matéria-prima e maquinário para a produção de uma determinada quantidade de produtos. Dessa forma, é possível determinar exatamente qual deve ser cada quantidade de recurso necessário para a produção, evitando gastos excessivos.

Reduzir Custos

Para saber mais das vantagens da tecnologia da informação para sua empresa, CLIQUE AQUI!

3. Invista Em Medidas De Eficiência Energética

Atualmente, a evolução tecnológica tem proporcionado às empresas a possibilidade de economizar dinheiro por meio de iniciativas que utilizam a energia de modo racional e sustentável.

Como medidas de eficiência energética, podemos citar a instalação de torneiras inteligentes, de máquinas automatizadas que necessitam de menos combustível, bem como a utilização da energia solar na empresa.

Tais medidas podem fazer com que a empresa consiga reduzir custos fixos e variáveis imediatamente, permitindo que esse montante seja utilizado como capital de giro ou reinvestido no crescimento da própria empresa.

4. Negocie Com Fornecedores

A escolha de fornecedores de matéria prima em uma empresa é sempre uma decisão difícil, pois vários fatores devem ser levados em consideração, tais como a confiabilidade, prazos de entrega, disponibilidades de produtos e preços. 

Vale ressaltar que, quando é feita uma análise apenas no preço da mercadoria, existe a possibilidade do planejamento não sair como esperado. Por exemplo, caso o dono de um supermercado escolha um fornecedor que não passe confiança nos prazos de entrega, mas oferece um custo por mercadoria reduzido, o supermercado corre o risco de não receber determinado produto a tempo de vender para os clientes nos dias de mais movimento, perdendo uma grande chance de aumentar seu lucro.

Quando for negociar com algum fornecedor, mostre que a empresa possui um bom plano de negócios, com metas estabelecidas e expectativas de faturamento. Dessa forma, o fornecedor terá uma maior confiança na empresa, a ponto de conseguir fornecer lotes com características especiais, tais como um preço reduzido, quantidades personalizadas, data antecipada de entrega, dentre outros.

Reduzir Custos

5. Valorize A Equipe De Trabalho

De nada vale uma empresa possuir as maiores inovações tecnológicas, uma previsão de faturamento enorme e uma demanda sólida de vendas se os funcionários estiverem desmotivados.

A empresa, em sua essência, é formada por pessoas. Caso elas não encontrem propósito nas ações realizadas ou não se sintam valorizadas, todo o planejamento simplesmente não irá funcionar, pois o trabalho não será realizado de maneira eficiente.

Além do mais, quando a equipe de trabalho é substituída, existe um período para o treinamento e adaptação dos novos funcionários que reflete no aumento dos custos de capacitação e investimento de horas da equipe para esse acompanhamento.

Para que isso não ocorra, a motivação, o respeito e a constante valorização dos colaboradores são essenciais. Mostre a toda equipe o propósito da empresa, qual é a perspectiva de crescimento de cada membro e conscientize-os que todos fazem parte de uma grande equipe, a qual o sucesso de todos só virá com o sucesso individual de cada um.

Reduzir Custos

6. Terceirize Serviços 

De tempos em tempos, determinadas atividades nas empresas necessitam de mais recursos humanos. Porém, talvez não seja interessante realizar a contratação de mais colaboradores, pois trata-se de um aumento pontual na necessidade de força de trabalho.

Em situações como essas, é mais viável terceirizar tais serviços, por meio de freelancers ou delegar tais tarefas a alguma empresa especializada, economizando nos custos de contratação, salário e demais encargos trabalhistas.

Vamos tomar como situação uma loja de varejo. Em épocas como o natal, o movimento de clientes é muito superior em relação a períodos regulares, aumentando a necessidade da contratação que, em certas situações, pode chegar a dobrar a quantidade de funcionários. Com uma equipe tão numerosa, não é interessante a manutenção ao longo prazo, mas sim a contratação de funcionários temporários para suprir a demanda específica.

Conclusão

Com a crescente concorrência entre as empresas, reduzir custos para obter vantagens competitivas é fundamental. Através de um plano de ação bem elaborado, que leve em consideração tanto a gestão de recursos quanto a de pessoas, é possível identificar custos não planejados, cortar despesas desnecessárias e gastar melhor, obtendo um maior capital de giro que pode ser investido no crescimento da empresa ou ampliar a margem de lucro. A redução de custos é um dos vários fatores que devem ser levados em consideração para alcançar o processo de uma empresa. Em nosso blog, possuímos diversos artigos de gestão empresarial com informações valiosas para todo o empreendedor. Para ter acesso a todos esses artigos, CLIQUE AQUI!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *