EMGD

Reinventando seu Negócio

Reinventando o seu Negócio: Por que, quando e como?

Diante da competitividade do mercado, a reinvenção se tornou uma necessidade. Saiba tudo que você precisa fazer para transformar o seu negócio.

Tempo de leitura: 7 minutos.

Crises econômicas, guerras, mudanças repentinas no mercado, tecnologias que se tornam obsoletas. Inúmeros fatores – previsíveis ou não – possuem o poder de influenciar e mudar as dinâmicas do mundo empresarial.

A pandemia da Covid-19 é um dos maiores exemplos recentes de como alguns elementos externos afetam a sociedade como um todo. De uma hora para a outra, milhões de pessoas e empresas precisaram lidar com restrições sanitárias, incertezas econômicas e a imposição do fechamento do comércio não essencial.

Um problema inesperado que nos apresentou ao “novo normal”, colocando a reinvenção e a adaptação à era digital como uma obrigatoriedade. Para sobreviver à crise, você precisa atualizar sua entrega de valor, seu sistema de vendas e suas estratégias de marketing.

Guardadas as devidas proporções, a necessidade de mudar sempre fez parte da realidade das empresas. Inclusive, a vida útil de várias delas está intrinsecamente ligada à capacidade de se adaptar a mudanças tecnológicas, sociais ou culturais.

Grandes marcas, em sua maioria, já passaram por esse tipo de reinvenção mais de uma vez, e a tendência é que isso continue sendo uma constante. Afinal, modelos de negócio tradicionais estão perdendo espaço para empresas que, assim como a Netflix e Amazon, sabem olhar para o futuro e aproveitar as vantagens oferecidas pela evolução do mercado.


Neste artigo, vamos falar sobre:

– A importância de se reinventar;

– Qual é o melhor momento para investir na transformação;

– Boas dicas para reinventar seu negócio;

– Erros e acertos de empresas reais.


Por que uma Empresa Deve se Reinventar?

A resposta mais simples e direta para essa pergunta seria: “porque os consumidores estão em estado de constante mudança”. A responsabilidade de quem deseja ser uma opção neste mercado cada vez mais competitivo é se adequar ao cenário atual.

É por isso que, atualmente, não existe a possibilidade de uma empresa manter seu faturamento, sua produtividade ou sua competitividade sem estar alinhada à era digital. O mundo exige essa mudança, e quem tenta resistir perde espaço por não oferecer soluções condizentes com o que seus consumidores estão vivendo.

Reinventando seu Negócio

No Dicionário On-line de Português, o significado do verbo reinventar está ligado à necessidade de oferecer novas abordagens para problemas antigos. E, ser capaz de fazer isso é decisivo para que o seu produto ou serviço não seja considerado obsoleto e acabe substituído por outras opções mais atualizadas.

Os motivos que justificam a reinvenção de uma empresa começam na importância de se adaptar à realidade, mas avançam por outros fatores, como a exploração de novas alternativas e a evolução da experiência do consumidor. Tudo isso tende a ocupar o posto de diferencial em relação a outras marcas, aumentando a competitividade e o lucro.

Quando é o Melhor Momento para se Reinventar?

Se existem vários motivos que fundamentam uma possível reinvenção, também existem vários momentos em que isso pode ser realizado. Em destaque estão as transformações motivadas por crises de diversas naturezas.

Mudanças repentinas nos padrões de consumo, surgimento de novos concorrentes ou diminuição abrupta dos ganhos por conta do desequilíbrio econômico entram como bons motivos para se reinventar. Esses são os cenários que exigem ação por parte de gestores e empresários.

Nesses casos, a reinvenção acontece de maneira imediata, com o intuito de reagir a problemas mais drásticos. Recorrer à inovação é a única saída para evitar perdas significativas no fluxo de caixa.

Um fato que não impede a gestão de usar tais crises como um pretexto para mudanças de médio ou longo prazo. Aproveitando o momento, vale a pena analisar seu modelo de negócio, refletir sobre as mudanças do consumidor e antecipar os problemas que precisarão ser solucionados no futuro.

No entanto, por mais que os momentos de instabilidade exijam algum tipo de aperfeiçoamento, as reinvenções não dependem deles para acontecer. É possível organizar um ciclo de transformações e revolucionar seu negócio em qualquer momento que apresente oportunidades de crescimento.

Além disso, cenários em que a zona de conforto parece dominar sua gestão, seus serviços ou seus colaboradores despontam como ótimas frentes para se buscar a reinvenção.

Reinventando seu Negócio

Mesmo quando o contexto proporciona ganhos significativos, essa ideia continua válida. Empresas que se apoiam apenas no seu sucesso momentâneo correm o risco de não notar o que está acontecendo à sua volta e perder oportunidades que vão determinar sua permanência no mercado.

Você lembra do que aconteceu com a Blockbuster? A franquia de locadoras sobreviveu à transição do VHS para o DVD, mas não aceitou que a era dos streamings afetaria o seu modelo de negócios, até então consolidado, e acabou encerrando suas atividades poucos anos depois.

Uma história que se repetiu com diversas empresas que insistiram em tecnologias ou produtos desatualizados. Negócios que não se arriscaram e permaneceram naquela zona de conforto momentaneamente lucrativa.

A regra é estar sempre atento ao mercado e ao seu ambiente organizacional. Assim, você descobre qual é o melhor momento para aproveitar inovações tecnológicas, descobrir modelos alternativos de negócios e se reinventar, evitando, com antecedência, as perdas inesperadas que acompanham momentos de crise.

Como Reinventar o seu Negócio?

A reinvenção empresarial possui uma conexão forte com a inovação tecnológica, todavia não depende exclusivamente dela. É possível citar outros fatores e atitudes que também são importantes nesse processo de transformação.

Gestão Inquieta

Empresas que incentivam a criatividade da sua força de trabalho costumam lidar melhor com inovações e reinvenções. Mais do que isso: novas ideias e possibilidades surgem com mais frequência quando gestores e colaboradores têm o hábito de fazer perguntas entre si, buscando saídas alternativas para os problemas mais comuns.

Diversidade na Equipe

Uma equipe marcada pela diversidade se destaca pela quantidade de vozes, ideias e pontos de vista alternativos. Portanto, investir desde sempre nesse aspecto pode exercer uma função primordial quando chegar o momento de reinventar seu modelo de negócio.

Inovação Tecnológica

É claro que não poderíamos deixar de falar da implementação de novas tecnologias. O investimento em marketing digital, a automatização de processos e a utilização de ferramentas de Business Intelligence para analisar dados estão entre os passos que mais influenciam e facilitam a reinvenção de uma gestão.

Todos esses fatores aproximam as empresas, cada vez mais, de um objetivo final: adaptar-se às mudanças culturais que estão afetando o mercado e seus prossumidores.

Quer saber mais sobre as práticas que transformam sua empresa em um negócio inteligente? Confira AQUI.

Apostar na Disrupção

Na maioria das vezes, as grandes reinvenções costumam mexer com o core business (o negócio principal) das empresas. Isso acontece quando os insights gerados pelas ferramentas de BI direcionam a gestão para uma escolha mais ousada: a transformação completa do negócio.

Em cenários como esse, uma boa ideia é se tornar uma empresa disruptiva. Ou seja, não aceitar a realidade imposta pelo mercado e fazer escolhas que nenhuma outra organização teria coragem de realizar.

Só é importante esclarecer que disrupção não é sinônimo de inovação. Ser realmente disruptivo está ligado à possibilidade de criar novos nichos de consumo por meio da oferta de produtos de qualidade por um preço abaixo do praticado pela concorrência direta.

Antecipar o Desejo dos Clientes

A capacidade de compreender, com precisão estatística, as necessidades e gostos dos seus consumidores é um fator primordial na hora de conduzir uma reinvenção. Se a evolução deles é o motivo que justifica tal transformação, não existe nada mais justo do que deixá-los direcionar quais mudanças são as mais importantes.

Para isso, é importante que a equipe construa um perfil bastante fiel e segmentado dos possíveis clientes. Essa atividade, aparentemente simples, auxilia no reconhecimento de soluções que influenciam a experiência do consumidor final.

Reinventando seu Negócio

Tomar Decisões Difíceis

Qualquer nível de reinvenção ou inovação, seja ela disruptiva ou não, exige que os gestores façam escolhas difíceis. Na maioria das vezes, uma transformação desse tipo demanda que a empresa repense suas estratégias de divulgação, seus produtos e serviços, ou até mesmo seu posicionamento no mercado.

Talvez não seja fácil aceitar essas mudanças, porém elas ajudam a cortar custos, melhorar a relação com o consumidor e garantir a sobrevivência da empresa em um mercado mais competitivo.

Fracassos e Sucessos em Casos Reais

Considerando que a maior parte das empresas encara momentos em que a reinvenção se torna necessária, não é difícil encontrar boas histórias envolvendo fracassos e sucessos. Exemplos do passado podem ensinar lições valiosas para os gestores que estão enfrentando essa situação no presente.

Em resumo, grande parte das falhas acontecem porque grandes empresas possuem modelos de negócio conservadores e evitam o risco a qualquer custo, ignorando oportunidades significativas de inovar. Já os acertos, por outro lado, são marcados por investimentos em tecnologia, gestores com visão de futuro e a compreensão de que situações inesperadas exigem mudanças ousadas.

Fracassos

·         Kodak

De forma simplificada, a Kodak foi responsável por aumentar o acesso do homem à fotografia. Sua cartela de produtos incluía desde a primeira câmera portátil até os rolos de filme, que permitiam a impressão das imagens.

Na década de 70, um grupo de inventores da própria empresa criou um protótipo da primeira câmera digital. O problema é que os executivos ignoraram sua própria inovação por acreditarem que seria um erro permitir que as fotos fossem tiradas sem os filmes que garantiam o lucro.

A Kodak cometeu dois erros fundamentais nesse momento: não antecipou o peso que a tecnologia teria no futuro e não entendeu que, mais do que apenas vender filmes, seu propósito era marcar momentos importantes da vida do consumidor.

·         BlackBerry

Durante muito tempo, a BlackBerry ocupou a liderança isolada do mercado de smartphones. A situação mudou quando o iPhone chegou às lojas com telas touchscreen e mais uma série de tecnologias que ampliaram seu valor agregado.

Apesar das constantes reclamações relacionadas ao tamanho das telas, a BlackBerry não acreditou que aquela novidade iria roubar seu mercado. Confiou tanto na sua zona de conforto, que não buscou nenhuma inovação, e foi superada por produtos que ofereciam experiências mais completas aos consumidores.

Reinventando seu Negócio

·         Blockbuster

A Blockbuster foi uma empresa mundialmente conhecida por décadas. Contando com um atendimento personalizado e ideias originais (como um sistema de devolução que incluia diversas caixas de correio espalhadas pela cidade), a marca sobreviveu ao crescimento da pirataria.

No começo dos anos 2000, a Netflix – uma pequena empresa que alugava filmes por meio dos correios – tentou unir forças com a marca para investir no streaming com assinatura anual. Por acreditar que o serviço prejudicaria os ganhos que acumulava com os atrasos nas devoluções, a Blockbuster não aceitou a proposta e precisou lidar com o fechamento de todas as lojas pouco mais de uma década depois.

Reinvenções Salvadoras

·         3M

O objetivo do grupo de empresários que criou a 3M era explorar depósitos de minério no interior dos EUA. Sem sucesso em tal empreitada, eles se concentraram na produção de abrasivos (produtos cuja função é polir ou limpar outros materiais).

Alguns anos depois, um jovem cientista descobriu a fita de mascaramento nos laboratórios da organização. Um produto inovador, que inspirou outras fitas de aderência e a criação dos post-its, reinventando a área de atuação e os aumentando os lucros da empresa.

·         Jacuzzi

A empresa foi fundada no começo do século XX por sete irmãos italianos e tinha como atividade principal a fabricação de aeronaves. Quando um deles faleceu em um acidente aéreo, o grupo decidiu mudar de ramo e começou a procurar outras áreas nas quais poderiam aplicar seus conhecimentos.

Sem medo de arriscar, eles investiram na produção de bombas hidráulicas e banheiras. O novo produto se tornou um verdadeiro sonho de consumo entre os americanos e garantiu a sobrevivência do negócio até os dias de hoje.  

·         Marvel

Uma das marcas mais valiosas da indústria cultural, a Marvel chegou a pedir falência em meados dos anos 90. Foi nesse período que a empresa precisou vender os direitos cinematográficos de personagens como o Homem-Aranha e os X-Men para conseguir novas receitas.

A situação mudou quando os executivos, em uma decisão considerada arriscada, tentaram adaptar personagens secundários para o cinema. Apesar dos heróis pouco conhecidos, o resultado das bilheterias não só salvou a marca, como a elevou ao posto de maior sucesso da última década.

·         LEGO

As peças de LEGO foram uma mania gigantesca por muitos anos, porém isso não foi o suficiente para manter o lucro da empresa. As vendas estavam caindo graças a uma grande mudança nos padrões de consumo: as crianças e os jovens preferiam passar o tempo livre em computadores e videogames.

A solução, por mais surpreendente que pareça, foi apostar na união com o seu maior inimigo, licenciando marcas populares e levando os seus produtos para o mundo dos jogos on-line. O resultado desse processo foi o fortalecimento da marca e um crescimento gradual das vendas.

Conclusão

Entre pandemias inesperadas e mudanças nos padrões de consumo, o mercado é influenciado por inúmeros fatores antecipáveis ou não. A sobrevivência e a vida útil das empresas estão diretamente ligadas à capacidade de se adaptar a tais mudanças culturais, atravessando as crises sem perder sua competitividade.

No entanto, esses cenários mais drásticos não passam de exemplos que exigem uma ação instantânea dos gestores. A reinvenção do negócio também pode ser conduzida em qualquer outro momento em que as oportunidades apontem para um crescimento mais lucrativo e prolífico.

Um fator decisivo é incentivar a interação dentro do ambiente organizacional. Entre tantos aspectos importantes, a manutenção de equipes diversas que se relacionam e questionam os processos internos facilita o surgimento de ideias e soluções inovadoras.

Ao mesmo tempo, gestores e executivos precisam estar abertos a novas propostas. É essencial que os responsáveis analisem as consequências dessas sugestões na experiência do consumidor, mesmo quando a transformação afeta seus negócios principais. Algo que muitos líderes não estão preparados para fazer.

As ações da Netflix, por exemplo, caíram aproximadamente 80% no período em que a empresa fez a transição dos DVDs alugados para o serviço de streaming, porque a maioria dos executivos ficaram receosos de apostar em um setor pouco conhecido e explorado.

Se ninguém tivesse apostado nessa solução disruptiva e revolucionária, o fim da Netflix poderia ter sido o mesmo da Blockbuster e de tantas outras empresas que encerraram suas atividades por conta de uma decisão contrária à inovação. É por isso que devemos estar sempre atentos e preparados para as mudanças, sejam elas inspiradas por grandes mudanças no perfil do consumidor, oupor crises inesperadas.


Quer saber mais sobre economia, sustentabilidade e empreendedorismo? O nosso Blog está recheado de artigos completos sobre produção energética, saúde financeira e tecnologia.

Acesse nosso acervo clicando AQUI.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *